Relato: IYPT 2011 no Irã (parte 7)

DSC02436

Acabei de perceber que o IYPT na Alemanha já tinha passado e os relatos sobre o IYPT no Irã ainda não estavam completos. Neste post, será feito o relato sore os últimos dois dias em Teerã.

27 de julho de 2011, “hoje é dia de tirar fotos”, ouvimos do nosso líder de equipe. Após serem liberados os resultados finais para a maioria dos times, sabíamos que não tínhamos ganhado a tão esperada medalha e que três times estavam na final. Nosso guia nos deixou na mão de um amigo pois aparentemente a noite de sono não tinha sido muito boa. Andando pelas ruas, quase que a turma de cerca de 300 estrangeiros em que estávamos teve as câmeras pegas pela polícia local por tirar fotos do que parecia ser um prédio do governo, o que era perceptível pela imagem onipresente do Aiatolá Khomeini sempre estampada em prédios públicos.

Quase presos por uma foto...

Quase presos por uma foto…

O dia era de passeio, passamos pelo Golestan Palace, certamente um dos locais mais bonitos da viagem, com salas totalmente encravadas em cristal e fotos da monarquia existente no Irã antes da revolução da década de 70. A riqueza do local era admirável: os vitrais coloridos para espantar mosquitos, as escadarias, os lustres e os jardins.

Entrance of Golestan Palace

Entrance of Golestan Palace

Saindo de lá, visitamos as ruínas da primeira universidade iraniana, fomos a um restaurante persa comer dos temperos locais (kebab “pra variar” um pouco com um iogurte aguado com menta que chamava “dô” ou algo do gênero), passamos pelo trânsito “pouco” (só que não) caótico de Teerã (já viu trânsito indiano na TV? Então, é igual) e vimos o “jeito iraniano de estacionar” (tinha carro na calçada, em local proibido, enfim, em qualquer canto).

Iranian way of parking

Iranian way of parking

Seguimos para um museu de arqueologia, onde se podia ver até mesmo uma réplica da parede de Persépolis, aliás, era um museu basicamente sobre história da Pérsia. Na frente desse museu que foi tirada uma foto com a maior parte dos participantes do torneio.

Foto geral na porta do museu

Foto geral na porta do museu

Depois, passamos por algumas lojas. Entre elas, uma só com castanhas, doces e temperos persas (açafrão e frutas secas era o que não faltava). Chegando na Amirkabir University of Technology, rolou uma partida de futebol Brasil versus resto do mundo (lógico, a gente ganhou junto com os agregados do nosso time e só a Julliana jogou dentre as meninas; eu não aguentei 5 minutos com roupa social e véu) que chamou até que bastante atenção, já que o futebol brasileiro parece fazer bastante sucesso por lá. Ao entrar no alojamento feminino, lá estava a única menina do time coreano, eles tinham se preparado a tarde inteira, e foi aí que descobrimos quais eram os problemas a serem apresentados na final do dia seguinte.

Futebol: Brasil x Mundo

Futebol: Brasil x Mundo

Então fomos, mesmo que desfalcados, já que teve gente que preferiu ficar na universidade, a um restaurante (persa de novo…) com nosso guia. Nos separamos em dois táxis e foi um pouco confuso. Estávamos sem comunicação, sem saber falar um nada de farsi/persa e um dos táxis se perdeu do nosso e do nosso guia. Ficamos esperando à porta do restaurante. Foi aí que eu vi pela primeira vez uma moto carregando 4 pessoas ao mesmo tempo (O.o) e tive a confirmação de que lá os ônibus são separados em duas áreas: uma pra homens e outra pra mulheres. Segundo nosso guia, isso é um pouco complicado se você estiver passeando com algum parente ou amigo do sexo oposto.

28 de julho de 2011, dia da grande final. Coreia apresentou o problema 7 (cup drum), Áustria ficou com o problema 8 (domino amplifier) e restou para a Alemanha apresentar o problema 5 (car), o mais popular da competição por sinal (todas as rodadas tiveram ao menos uma apresentação desse problema). A apresentação coreana foi com certeza o melhor relatório que eu já vi ao vivo em um Physics Fight, foi incrível, impecável, com física inquestionável e retórica impressionante. Logo, a vitória coreana foi certamente merecida em 2011. Mas o que mais surpreendeu foram as considerações finais inesperadas e perfeitas (05:34 no vídeo) feitas pelo único time oriental na final do ano passado.

Apresentação coreana

Apresentação coreana

Logo em seguida veio a cerimônia de encerramento. Era pra ela ser as 4 da tarde, então parte do nosso time tinha até saído da universidade por um tempo. Porém, a organização foi um pouco complicada e, devido à presença de autoridades locais, o encerramento foi adiantado em várias horas. Estátuas foram distribuídas às autoridades, times foram chamados pra receber medalhas erradas, confusão armada, mas todo mundo recebeu as devidas medalhas no fim das contas. Depois fomos a uma exposição de pôsters, que inicialmente tinha sido cancelada mas que foi feita às pressas com as soluções de alguns times.

Medalhistas de ouro

Medalhistas de ouro

No fim do dia, houve um coquetel de despedida geral e uma festinha no alojamento feminino organizado por uma das estudantes da universidade. No dia seguinte iríamos para Isfahan, uma das cidades mais bonitas do Irã, mas isso é assunto pra um post sore as viagens pós-torneio que fazem parte da viagem de todos os anos. Então fomos para Dubai, o que já foi falado em outro post (só que, detalhe: fomos na época do Ramadã, o que não foi uma surpresa muito legal por a gente não poder nem beber água em público, nos perdemos também, mas no fim das contas a viagem foi muito divertida!).

Por aqui terminam os relatos das peripécias do time brasileiro de 2011 em Teerã. Até a próxima!

Motivação para quem está se matando para a nacional

Toda vez que descobrem que eu fui pra uma olimpíada internacional, uma das primeiras coisas que perguntam: você viajou de graça? Então, eu fiquei pensando aqui em como motivar as pessoas que estão se matando de trabalhar pra essa ultima semana antes do prazo de envio dos relatórios pra bônus no IYPT Brasil 2013. O que veio na minha cabeça foi: falar sobre viagens. Todo mundo gosta de viajar afinal de contas. Logo, resolvi apelar pro lado ambicioso das pessoas que querem conhecer o mundo.

Pois bem, olimpíada internacional e viagem são quase sinônimos (a não ser que ela seja sediada no seu país). Então, você acaba visitando lugares como Irã, Alemanha e Taiwan (em 2013, mais especificamente). Mas, você já pensou em conhecer o maior prédio do mundo? Em ver de perto a maior catarata da Europa? Provar chocolate suíço? Fazer compras no maior shopping do mundo? Ver os alpes suíços de mais de 2000 km de altitude? Ficar num hotel quatro estrelas com tudo pago? Visitar a FIFA? E o melhor: tudo isso sem gastar um centavo do seu bolso? Plim, plim, plim, há um jeito de conseguir tudo isso. Não está entendendo nada?

Então, além de viajar para o país sede do IYPT, o que já é divertido pra caramba (sério) até mesmo por causa do torneio (cuja participação é o melhor prêmio da nacional), o time brasileiro costuma fazer escala em outros países :). Ou seja: mais um país pra você conhecer de graça! Ano passado, ficamos 2 dias em Dubai, nos Emirados Árabes. Esse ano, passamos 5 dias visitando algumas cidades na Suíça. Aí em baixo estão algumas fotos dessas viagens.

Boa sorte pra todo mundo que estiver fazendo trabalhando pra nacional nesse momento. Quando vier aquele desânimo pra estudar, aquele desespero na preparação, aquele sono pelas noites mal dormidas, lembrem-se do que lhes espera caso bem sucedidos na competição e não desistam :D.

Besteiras da preparação

Para você que está se preparando para a nacional: já imaginou o que que a equipe brasileira faz nos intervalos da preparação? Pois então, alguns vídeos separados, deram o resultado de 7 vídeos da preparação postados agora há pouco no YouTube. Mais pra frente virão mais vídeos. Confira aí em baixo cada um deles:

Destruindo o laboratório: vamos explodir coisas enquanto nenhum experimento do IYPT é feito!

Entrega de camisetas: Nosso time era composto por 4 alunos de unidades diferentes do Objetivo e 1 do Instituto Dom Barreto que foram selecionados através da etapa nacional. Então decidimos fazer uma surpresa pros componentes piauienses do time :).

Noite do Habib’s: de madrugada, fazendo apresentações, com sono… nada mais natural do que só falar besteira. Pra quem tiver com preguiça de ver o vídeo inteiro, assista dos 3:00 aos 6:31 minutos.

Lidando com miçangas: novo sistema de medidas… u.u

Festa dos ímãs: ímãs sobrando, preguiça batendo, nada mais natural do que fazer um campo minado de ímãs, certo?

Guerra de pasta de dente: depois do almoço, 20 minutos de descanso… o que que a gente faz? Guerra de pasta de dente!

Momento Ana Maria Braga: 2 da manhã, para o time do Brasil é hora do chocolate quente!

Mascots!

Certainly, something that really called the attention of everybody in IYPT this year was the number of teams that brought mascots to the competition. Probably this was the result of the fact that the LOC kind of estimulated the teams in taking those fluffy things to this edition.

Some of the mascots were: Hugo (Brazil), Lise (Austria), Rydberg (Sweden), Schrödigger (Australia), Supermilchchue (Switzerland), Ernie (New Zealand), the Linux penguin from Germany (not sure about his name), two mascots from Singapore, the panda with the huge head from China and many others! Each one of them was attributed a different story and one may find a lot of funny pictures of these cute mascots on their facebook profiles.

Anyway, some posts about it were made before, like the pool for choosing Hugo’s name, the one in which he was introduced to the world or that about our last week of preparation, in which he appeared a lot. Some links refering to this subject were also put in the pre-departure post and many pics of it can be found in posts about this year’s IYPT.

The only thing we know is that Hugo was definetely the most popular member of our team (in the competition and after that, he actually appeared in the press with our team haha) and that the pool we made to choose his name was totally manipulated by people of certain team hahaha (but we already suspected of what happened when we saw the results), which we found very funny by the way :). Whatever, we wanted his name to be Hugo before, so having help from people of outside was actually nice.

Now, he lives on a shelf in Santos, inside one of the hats of the Brazilian team, holding his badge and an IYPT medal, but he is looking forward to go to Taiwan, so he is going to be handed to one of our team members next year.

Some of the photos of him and his mascot friends can be found below:

People in IYPT 2012

Uma das partes mais legais do IYPT é o fato de você conhecer gente do mundo inteiro que gosta de física e tem os mais variados backgrounds, hábitos culturais, interesses etc. Na fase nacional isso já é perceptível, na fase internacional, isso se torna ainda mais divertido :).

Aliás, a parte mais triste da viagem é deixar vários amigos pra trás sem saber se os verá pessoalmente de novo… Ainda sim, se você tem a perspectiva de voltar para o torneio, é legal ficar um ano inteiro com certa expectativa e rever as pessoas com quem você fez amizade no ano anterior. As pessoas no IYPT são muito amigáveis e simpáticas! Além disso, a própria configuração do torneio, os fights e tudo mais, faz com que todo mundo interaja bastante.

Enfim, esse ano foi excelente para rever amigos e conhecer pessoas novas \o/. Nós, do Brasil, conversamos com muita gente! Claro, tivemos nossos momentos de pagar mico na frente dos outros, mas também brincamos bastante, jogamos conversa fora, fizemos piadas, fizemos boas amizades e mantivemos contato com bastante gente. Obviamente, sentimos falta de todo mundo já :\, o que não é muito legal…

Aí em baixo, tem fotos de alguns times e pessoas que conhecemos (a maioria foi tirada depois da cerimônia de encerramento), mas tem muitas pessoas com quem conversamos bastante e não tiramos fotos por falta de tempo, ou porque desencontramos nos últimos dias e por aí vai.

The IYPT medal

Há 6 anos o Brasil não trazia medalha para casa. Há 7, não ficávamos no top 10. Nunca tínhamos deixado 18 países para trás incluindo tradicionalíssimos campeões e medalhistas dos anos anteriores. Aparentemente, ficamos pela primeira vez na história do país no torneio na faixa da premiação da prata por algumas rodadas, tiramos nosso primeiro 10 (com a apresentação do magnet and coin da Bárbara), alguns 8’s e 9’s também. Afinal de contas, esse foi o maior IYPT da história, 28 países participantes e nada disso deve ser esquecido.

Todos já sabem, mas não custa lembrar… O Brasil já tinha participado no IYPT de 2004 a 2007 sob outra organização. Durante esse período, conseguimos dois bronzes (e esses times passados também foram bem importantes, como todas as delegações passadas foram :)). Depois disso, o IYPT Brasil voltou a ser organizado em 2010 (espécie de edição “beta”) e, em 2011, a primeira seleção brasileira sob a organização da B8 foi feita. Então, o Brasil voltou a participar no ano passado, na edição do Irã. Devido a alguns problemas sobre os quais não vale a pena fazer comentários, não conseguimos uma medalha por lá. Enfim, um ano se passou, uma nova equipe foi formada, alguns problemas foram corrigidos e cá estamos nós, podendo comemorar a volta do Brasil à lista de medalhistas no IYPT :D. É realmente muito bom poder fazer parte disso. E, como diria o Thiagão: “Agora é o bonde sem freio do Brasil”. Ninguém segura a gente mais, o pontapé inicial já foi dado, não voltaremos sem medalha nas próximas edições provavelmente.

Tudo bem, ficamos meio bravos com o resultado, tanto com o nosso quanto com o da final, depois eu vou escrever mais sobre isso quando for tratar de cada uma das rodadas de fights separadamente. Mas, por enquanto, quem quiser pode ler um post que a Liara fez no Vida de Olímpico, que esclarece bastante coisa…

Enfim, ainda postarei mais sobre a cerimônia de encerramento, nossa comemoração, incluindo o coquetel em que tivemos mais oportunidades de conversar com os outros times depois da premiação e bla bla bla. Este post é especial para falar sobre a medalha (que é linda *-*, parabéns aos designers).

O que essa medalha tem de tão especial? Muita coisa! Porém, visualmente, ela já chama atenção pelo seguinte motivo: os versos das nossas medalhas todas juntas formam um padrão, mais especificamente, o desenho do sistema solar tal qual ele estava no exato momento em que elas nos foram entregues. É interessante como cada medalha é única, só que é ainda mais especial quando todas estão juntas, assim como cada time deve ser no IYPT, como o nosso time era (ou ainda é): cada um tinha um talento especial, mas éramos completos na presença dos cinco.

Medalhas juntas (parte de trás) – sistema solar no momento da premiação.

O desenho das medalhas de prata era algo que lembrava simulações de computadores. Já a respeito das medalhas de ouro, que foram entregues separadamente, juntando não só de um time, mas sim dos três times finalistas, tem-se o desenho de uma colisão de prótons, para lembrar do Bóson de Higgs. Cada um desses desenhos tem um significado especial, que foi explicado durante a premiação, o que pode ser visto no vídeo abaixo (infelizmente eu não tinha vídeos dos seguintes países recebendo as medalhas: Irã, Áustria e Singapura).

Independente de qualquer coisa, ficamos muito felizes com o resultado e, claro, tiramos muitas fotos com a medalha, mas muitas mesmo… Gritando “Brasil!”, mordendo as medalhas, com outros times (essas serão pra outro post), me segurando (só porque eu sou pequena? u.u), delegação inteira (incluindo guia), das medalhas sendo separadas e escolhidas etc etc etc. Era felicidade demais pra um time só, acho que as pessoas estavam achando a gente esquisito demais… mas quem liga?! haha. Acho, ou melhor, tenho certeza, que a premiação e o coquetel de encerramento juntos foram um dos dois pontos de pico máximo de felicidade que eu tive durante o torneio (o outro foi na terceira rodada de PFs), por motivos variados, entre os quais certamente está a medalha :).

Pra provar o nosso estado depois da premiação, podem até ver o vídeo da nossa chegada épica no campus dos alojamentos após o encerramento:

Enfim, algumas fotos da medalha estão abaixo. Mais algumas virão quando eu for falar sobre a cerimônia de encerramento e assuntos afins.

Japanese school campus: the place where we used to rest (and work…) during IYPT

While we were in Bad Saulgau for this year’s competition, all the teams were accomodated in the Japanese school campus, where the dormitories were located. Apparently, this campus does not have anything there for most of the time, so it was specially prepared to receive all the competitors from the 28 different nations.

It was a beautiful and wooded site, there were trees everywhere. The teams’ bedroom were separated into two major buildings. Each bedroom had bunk beds and could accomodate two people or the whole team depending on how many boys and girls the team had. Also, there were shelves, chairs, desks and a wardrobe. Plaques with the names of the people that were going to occupate each room for the week as well as the flag of the country of which they were from were placed in the doors. When we got to our rooms, one bag for each participant with the tournament stuff, like badges, T-shirts, touristic info etc were above each of the room’s desk. Some pictures of these first impressions can be seen in another post.

The building in which our bedrooms were.

Just the main building (in which one could find rooms with people of the organizing team for information) was equipped with internet connection and, as we weren’t sleeping there, we had to take some time everyday in the stairs of this part of the campus. That was somewhat funny (ok… that was quite weird in the beggining in fact), as a lot of people were always stopping by the stairs to take some picture of what we were doing. Seriously, there must be a hundred of photos out there spread through the world of the Brazilian team using their laptops in the stairs…

Brazilian team using internet in the stairs.

But beacuse of these problems with internet, we started using the organ room in the nights, when we used to prepare our strategies based on what we experienced during the fights and on the previews of the next ones, contacted our family, studied and researched a bit. That room was amazing! Actually, a lot of people used to appear during the day to play the piano there. People from Iran, Australia, Germany, Indonesia, some guides and many other people. Not seldom, also a lot of people appeared to listen to what was being played, which was actually really fun. Below, you can see a video with recordings of some of this “private piano auditions” baggining by Ferdinand (our guide), playing some Brazilian songs, followed by Reza (Iranian team leader), playing his own compositions.

Pic of one of our nights in the piano room.

The campus was also place for some parties, which is going to be subject of another post. Also, we spent sometime there chatting and playing with other teams and that’s a really fun part of IYPT. Some soccer matches were held in the lawn and in a field they had in the back part of our building.

End of some soccer game.

Also in the back part of the campus, there was and exit to the city streets, which we used a lot as it was closer to our rooms.

A tent was placed in the middle of the area to serve as the dinnig room for the teams. There we had our breakfast, lunch, dinner… usually composed of some pasta, potatoes, salad and always bread. To drink we always had sparkling water, apple juice or coke. By the way, we have an interesting story of one of our team members and the coke… but I don’t think he’s going to be happy with me publishing this particular case haha. We didn’t have any problems with the food this year, so that was actually something good.

Inside the place where we had our meals.

In general we didn’t have much time to rest, as we were always thinking about something…

Ibraim solving the equations for problem number 7.

…but we tried to rest a bit in our rooms.

Rest?…

Now, there is a video of the usual path from our building to the main one, in which we used to walk all the time. Usually, at night, when we were coming back to our dorms from the piano room, the sky was always gorgeous and full of stars there.

Below, you can find some more photographs.