Diogo Rodrigues Bercito

Imagem 078

Equipe brasileira de 2005. Diogo é o membro ao centro da foto.

Nunca penso muito para responder que evento mudou a minha vida. Sem dúvidas, um dos mais importantes foi o IYPT.

Era 2004 e eu cursava o segundo ano do ensino médio. Junto com alguns amigos corajosos, montei um time para competir no torneio. Era a primeira edição no Brasil, e não sabíamos muito bem o que esperar.

O resultado foi muito além da expectativa. Vencemos a seleção nacional e um de nós foi escolhido para ir à Austrália, representar o país. No caso, eu.

A experiência me ensinou muito sobre mim mesmo e sobre até onde eu podia ir. Aprendi também, é claro, sobre o outro lado da história: as responsabilidades e os deveres de fazer parte do time do meu país.

Nós do time brasileiro estudávamos de manhã até de noite, no mês antes da viagem. Perdemos provas na escola, perdemos noites de sono. Preparamos relatórios, transparências, apresentações de PowerPoint. Lemos trabalhos científicos que mal entendíamos. Ensaiamos discursos em inglês na frente do espelho, nervosos.

A viagem até a Austrália durou um dia inteiro, e chegamos ao hotel no meio da tarde. Largamos as malas nos quartos e nos juntamos ao time mexicano para uma partida de futebol. Fiz o único gol da minha vida. À noite, estudantes do mundo inteiro conversavam em inglês, com variados sotaques, sentados no chão de um alojamento.

Fizemos amigos e inimigos, trocamos presentes e moedas de diferentes países. Levamos broncas dos nossos professores, brigamos entre nós – mas estávamos juntos para nos consolar quando recebíamos notas ruins nos Physics Fights. E para comemorar as notas altas também! Ficamos em 15º lugar.

No ano seguinte, fui capitão do time brasileiro, na Suíça. Conquistamos a 7ª posição.

Hoje sou jornalista, e vivem me perguntando o que uma coisa tem a ver com a outra. Para mim, tem tudo a ver, porque não acho que estudar física seja estudar números. É estudar pessoas, também, e pesquisar muito sobre tudo. Que nem jornalismo.

Morro de saudades de ser relator em um Physics Fight. E confesso: até hoje leio os 17 problemas anuais do IYPT e fico pensando nas soluções que eu apresentaria a eles.

Diogo Rodrigues Bercito foi membro da equipe brasileira no IYPT 2004 e no IYPT 2005, onde ganhou medalha de bronze, sendo premiado também no IYPT Brasil 2004 e no IYPT Brasil 2005. Hoje, ele é jurado do torneio nacional.

*O depoimento acima foi retirado do booklet do IYPT Brasil 2010.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s