Happy Birthday, Evgeny Yunosov!

Evgeny Yunosov with the Brazilian team in the comemorative edition of 25 years of IYPT in 2012.

Evgeny Yunosov with the Brazilian team in the comemorative edition of 25 years of IYPT in 2012.

Today is the 70th birthday of the visionary man who founded (26 years ago) the incredible tournament the IYPT is. I invite everybody to give the best wishes to to Evgeny Yunosov because, without him, many lives would be different from what they are today without the IYPT. Happy birthday! 🙂
.
If you want, you can hear the opening speech conducted by Evgeny Yunosov in the very first edition of the tournament (credits to Ilya Martchenko for tracing and finding this invaluable piece of audio).
____________
Edit:

Correction made by the IYPT Archive:
“‘hear the opening speech’ –> the audio was made 2 months before the IYPT 1988 at a local pre-selection in Moscow. But it contains amazing thoughts about the plans for the 1st IYPT. At A few photos taken during the 1st IYPT itself:http://www.internat18.ru/photo.asp?n=167 or http://yunosov-photo.ilyam.org/t12.jpg. (note the metal badge on the people:http://img.aucland.ru/market-photos/23/CcK4Q2.jpg,http://blog.aypt.at/wp-content/uploads/IMG_2495.jpg 🙂 )”

Vídeo de divulgação do IYPT

O IYPT na Alemanha acabou já faz uns meses apesar de parecer que foi ontem. Essa semana, a organização oficial lançou um vídeo promocional (parte em inglês, parte em alemão, mas é tudo bem entendível) com alguns takes dos vídeos que fizeram do torneio. Tem partes de discursos da cerimônia de abertura e de encerramento, alguns vídeos do pessoal se divertindo, e até do nosso guia tocando música brasileira. Se alguém quiser ver mais ou menos como é o clima do torneio internacional, divirta-se com o vídeo. Inspire-se nas pessoas que aparecem no vídeo, pense no trabalho que elas tiveram pra chegar até lá e pense em estar no time do Brasil rumo a Taiwan 2013!

Top posts

Só para não deixar o blog parado esses dias (vem mais coisa assim que der tempo), aqui estão os cinco posts que fizeram mais sucesso até agora no blog. Em primeiro lugar, vem o post com a enquete sobre o Hugo, acho que isso é meio intuitivo, já que ele é o membro mais popular do time brasileiro haha (não tem como culpá-lo, ele é muito fofo). Em segundo, vem o post “Acabou…” que foi postado um dia depois da nacional deste ano. Em terceiro, o post sobre a medalha internacional e nossa comemoração feliz depois de tanto esforço. Em quarto, um post sobre as novas regras do IYPT Brasil em 2012 (provavelmente foi popular porque devia ter muita gente pesquisando no Google sobre o assunto e caiu aqui no blog, espero que ele tenha ajudado alguém 🙂 ). Em quinto, o post sobre como Bad Saulgau nos recebeu de braços abertos nessa edição da Alemanha. Quatro dos meus posts preferidos estão na lista, mas depois eu faço uma lista dos mais legais.

Enfim, fazer essa lista serve pra quem estiver entrando pela primeira vez ver aquilo que os leitores mais gostaram até agora de saber sobre o IYPT. Boa sorte pra todo mundo nesse último mês antes do envio dos relatórios preliminares do IYPT Brasil 2013!

 

Just to keep this blog going these days (more things will come when there’s time), here there are the five posts that most succeeded till now in the blog. In first place, there is the post with the pool about Hugo, I guess that is kind of intuitive, as he’s the most popular member of the Brazilian team haha (there’s no way to blame him, he’s way too cute). In second, we have the post “Acabou…” (“That’s over…” in literal translation), which was posted a day after this years’ nationals. In third, there is the post about the international medal and our happy comemoration after all the effort. In fourth, it is the post about the new regulations of IYPT Brasil 2012 (probably it was popular because many people were searching at Google about the subject and just got to the blog, I hope it has helped somebody 🙂 ). In fifth, we have the post about how Bad Saulgau received us with its arms opened in this edition in Germany. Four of my favorite posts are in the list, but I’ll make the list of the nicest later.

Whatever, making this list serves to who is accessing this blog for the first time to see what the readers liked the most to know about IYPT till now. Good luck to everybody in these last month before sending the preliminary reports to IYPT Brasil 2013!

The IYPT medal

Há 6 anos o Brasil não trazia medalha para casa. Há 7, não ficávamos no top 10. Nunca tínhamos deixado 18 países para trás incluindo tradicionalíssimos campeões e medalhistas dos anos anteriores. Aparentemente, ficamos pela primeira vez na história do país no torneio na faixa da premiação da prata por algumas rodadas, tiramos nosso primeiro 10 (com a apresentação do magnet and coin da Bárbara), alguns 8’s e 9’s também. Afinal de contas, esse foi o maior IYPT da história, 28 países participantes e nada disso deve ser esquecido.

Todos já sabem, mas não custa lembrar… O Brasil já tinha participado no IYPT de 2004 a 2007 sob outra organização. Durante esse período, conseguimos dois bronzes (e esses times passados também foram bem importantes, como todas as delegações passadas foram :)). Depois disso, o IYPT Brasil voltou a ser organizado em 2010 (espécie de edição “beta”) e, em 2011, a primeira seleção brasileira sob a organização da B8 foi feita. Então, o Brasil voltou a participar no ano passado, na edição do Irã. Devido a alguns problemas sobre os quais não vale a pena fazer comentários, não conseguimos uma medalha por lá. Enfim, um ano se passou, uma nova equipe foi formada, alguns problemas foram corrigidos e cá estamos nós, podendo comemorar a volta do Brasil à lista de medalhistas no IYPT :D. É realmente muito bom poder fazer parte disso. E, como diria o Thiagão: “Agora é o bonde sem freio do Brasil”. Ninguém segura a gente mais, o pontapé inicial já foi dado, não voltaremos sem medalha nas próximas edições provavelmente.

Tudo bem, ficamos meio bravos com o resultado, tanto com o nosso quanto com o da final, depois eu vou escrever mais sobre isso quando for tratar de cada uma das rodadas de fights separadamente. Mas, por enquanto, quem quiser pode ler um post que a Liara fez no Vida de Olímpico, que esclarece bastante coisa…

Enfim, ainda postarei mais sobre a cerimônia de encerramento, nossa comemoração, incluindo o coquetel em que tivemos mais oportunidades de conversar com os outros times depois da premiação e bla bla bla. Este post é especial para falar sobre a medalha (que é linda *-*, parabéns aos designers).

O que essa medalha tem de tão especial? Muita coisa! Porém, visualmente, ela já chama atenção pelo seguinte motivo: os versos das nossas medalhas todas juntas formam um padrão, mais especificamente, o desenho do sistema solar tal qual ele estava no exato momento em que elas nos foram entregues. É interessante como cada medalha é única, só que é ainda mais especial quando todas estão juntas, assim como cada time deve ser no IYPT, como o nosso time era (ou ainda é): cada um tinha um talento especial, mas éramos completos na presença dos cinco.

Medalhas juntas (parte de trás) – sistema solar no momento da premiação.

O desenho das medalhas de prata era algo que lembrava simulações de computadores. Já a respeito das medalhas de ouro, que foram entregues separadamente, juntando não só de um time, mas sim dos três times finalistas, tem-se o desenho de uma colisão de prótons, para lembrar do Bóson de Higgs. Cada um desses desenhos tem um significado especial, que foi explicado durante a premiação, o que pode ser visto no vídeo abaixo (infelizmente eu não tinha vídeos dos seguintes países recebendo as medalhas: Irã, Áustria e Singapura).

Independente de qualquer coisa, ficamos muito felizes com o resultado e, claro, tiramos muitas fotos com a medalha, mas muitas mesmo… Gritando “Brasil!”, mordendo as medalhas, com outros times (essas serão pra outro post), me segurando (só porque eu sou pequena? u.u), delegação inteira (incluindo guia), das medalhas sendo separadas e escolhidas etc etc etc. Era felicidade demais pra um time só, acho que as pessoas estavam achando a gente esquisito demais… mas quem liga?! haha. Acho, ou melhor, tenho certeza, que a premiação e o coquetel de encerramento juntos foram um dos dois pontos de pico máximo de felicidade que eu tive durante o torneio (o outro foi na terceira rodada de PFs), por motivos variados, entre os quais certamente está a medalha :).

Pra provar o nosso estado depois da premiação, podem até ver o vídeo da nossa chegada épica no campus dos alojamentos após o encerramento:

Enfim, algumas fotos da medalha estão abaixo. Mais algumas virão quando eu for falar sobre a cerimônia de encerramento e assuntos afins.

Japanese school campus: the place where we used to rest (and work…) during IYPT

While we were in Bad Saulgau for this year’s competition, all the teams were accomodated in the Japanese school campus, where the dormitories were located. Apparently, this campus does not have anything there for most of the time, so it was specially prepared to receive all the competitors from the 28 different nations.

It was a beautiful and wooded site, there were trees everywhere. The teams’ bedroom were separated into two major buildings. Each bedroom had bunk beds and could accomodate two people or the whole team depending on how many boys and girls the team had. Also, there were shelves, chairs, desks and a wardrobe. Plaques with the names of the people that were going to occupate each room for the week as well as the flag of the country of which they were from were placed in the doors. When we got to our rooms, one bag for each participant with the tournament stuff, like badges, T-shirts, touristic info etc were above each of the room’s desk. Some pictures of these first impressions can be seen in another post.

The building in which our bedrooms were.

Just the main building (in which one could find rooms with people of the organizing team for information) was equipped with internet connection and, as we weren’t sleeping there, we had to take some time everyday in the stairs of this part of the campus. That was somewhat funny (ok… that was quite weird in the beggining in fact), as a lot of people were always stopping by the stairs to take some picture of what we were doing. Seriously, there must be a hundred of photos out there spread through the world of the Brazilian team using their laptops in the stairs…

Brazilian team using internet in the stairs.

But beacuse of these problems with internet, we started using the organ room in the nights, when we used to prepare our strategies based on what we experienced during the fights and on the previews of the next ones, contacted our family, studied and researched a bit. That room was amazing! Actually, a lot of people used to appear during the day to play the piano there. People from Iran, Australia, Germany, Indonesia, some guides and many other people. Not seldom, also a lot of people appeared to listen to what was being played, which was actually really fun. Below, you can see a video with recordings of some of this “private piano auditions” baggining by Ferdinand (our guide), playing some Brazilian songs, followed by Reza (Iranian team leader), playing his own compositions.

Pic of one of our nights in the piano room.

The campus was also place for some parties, which is going to be subject of another post. Also, we spent sometime there chatting and playing with other teams and that’s a really fun part of IYPT. Some soccer matches were held in the lawn and in a field they had in the back part of our building.

End of some soccer game.

Also in the back part of the campus, there was and exit to the city streets, which we used a lot as it was closer to our rooms.

A tent was placed in the middle of the area to serve as the dinnig room for the teams. There we had our breakfast, lunch, dinner… usually composed of some pasta, potatoes, salad and always bread. To drink we always had sparkling water, apple juice or coke. By the way, we have an interesting story of one of our team members and the coke… but I don’t think he’s going to be happy with me publishing this particular case haha. We didn’t have any problems with the food this year, so that was actually something good.

Inside the place where we had our meals.

In general we didn’t have much time to rest, as we were always thinking about something…

Ibraim solving the equations for problem number 7.

…but we tried to rest a bit in our rooms.

Rest?…

Now, there is a video of the usual path from our building to the main one, in which we used to walk all the time. Usually, at night, when we were coming back to our dorms from the piano room, the sky was always gorgeous and full of stars there.

Below, you can find some more photographs.

How we spent our free time in Bad Saulgau

While in Germany, we had a lot of official IYPT-related stuff to participate. All the course of the tournament is quite fun because of its configuration, but we indeed had some free time, which was also really enjoyable. In most of this time, we were in the dorms, where we could rest, study or get together with other teams, but that’s a subject I want to talk about later, while writing about the Japanese school campus (yeah, seems like we’ll have a bunch of topics for future posts). The rest of this free time was spent discovering Bad Saulgau.

We walked randomly through the city (and some pictures of these walks were posted in another published text about Bad Saulgau) and visited the thermal waters for which the city is known. It’s possible cross the city in a heartbeat, but we could rest for some time, eat in different restaurants, take some ice cream, swim, go to the supermarket (ok, this last was totally random…) etc.

Below, you can see some more photos and also a video with whith some short recordings of these random walks.

Leaving Brazil and getting to Germany

Saímos do Brasil na tarde do dia 19 de julho, foi a festa dos chapéus haha. Deixamos o Brasil (equipe, líderes, visitante e, claro, o mascote – o mais popular dentre toda a equipe). Desembarcamos em Munique, onde encontramos o time da Bulgária, que reconhecemos por causa de alguns integrantes do ano anterior. O Ibraim esqueceu algumas coisas dentro do avião, então o Thiago teve que voltar para buscar também. De lá, embarcamos em uma viagem de mais ou menos meia hora para Stuttgart, onde nosso guia, o Ferdinand, nos esperava. Comemos no Burger King, vimos alguns times, como o da Geórgia, também esperando para sair do aeroporto e depois entramos em um ônibus rumo a Bad Saulgau.

Em Bad Saulgau, já estava começando a chover. Conversamos um pouco com o time da Bielorrússia e alguns outros conhecidos de 2011. Finalmente conseguimos chegar aos nossos quartos, todos muito bem organizados, indicados por placas com nossos nomes. Dentro havia uma escrivaninha para cada um, beliches, estantes e, claro, todo o nosso material relativo ao torneio (crachás, mochilas, etiquetas, informações turísticas, camiseta etc). Sobre os dormitórios, talvez tenha um post só para isso mais à frente…

Organizamos nossas coisas e fomos para a festa de boas-vindas da competição. O mais engraçado foi ver gente de outros times que com certeza não está acostumada a beber acabar tomando mais do que devia, nós rimos muito de algumas cenas. Mas, claro, andamos bastante pelo local, conhecendo novas pessoas ou simplesmente aproveitando o que estava acontecendo ao nosso redor :).

No fim do dia, decidimos que era melhor ver se tinha mais alguma coisa que dava para melhorar, já que o primeiro PF seria no dia seguinte à tarde, e traçar algumas estratégias para possíveis sorteios de chaves e proposições de problemas (como faríamos todas as noites a partir daí). Tivemos um dia cansativo (e o Hugo também se desgastou bastante durante a viagem haha, mas teremos um post só sobre o diário de bordo dele depois). Claro que, durante essa noite, falamos muita, mas muita besteira.

Abaixo estão algumas fotos desse primeiro dia e alguns vídeos de nós todos falando muita bobagem. Espero que se divirtam assistindo :D.

Bad Saulgau: the city that “lived” IYPT

Cidadezinha de pouco mais de 15 mil habitantes, ao sul da Alemanha, próxima a Stuttgart. Por incrível que pareça, essa foi a localização daquele que foi o maior torneio da história do IYPT. Mas quer saber, não haveria lugar melhor para tal acontecimento. Após grandes metrópoles serem sede da competição, Bad Saulgau não veio simplesmente para sediá-la, mas sim para acolhê-la, ou melhor, literalmente “viver” o IYPT. Logo na entrada, a faixa com os símbolos e bandeiras do IYPT já indicava quão bem recebidos seríamos no decorrer da semana que seguiria.

A pequena cidade deveria ser preparada, pois receberia centenas de pessoas de 28 países do mundo de uma só vez, o que não é muito comum. Parece que essa preparação já vinha sido feita há meses. O ar um pouco medieval da cidade interiorana não poderia ser mais propício para os duelos que se dariam entre os cavaleiros físicos, como o próprio logotipo do torneio sugere, no centro de pesquisa estudantil. A população estava inteira engajada. Todos dando as boas vindas aos participantes das mais variadas nações do globo. Pelas ruas, víamos panfletos convidando visitantes aos shows de física que aconteceriam no auditório da cidade, mais especificamente, a física de James Bond na cerimônia de abertura e  o show de física da cerimônia de encerramento. Além disso, mapas da cidade com indicações de lojas eram comuns. Até aí, tudo bem… O mais interessante era que essas indicações na verdade eram as lojas que tinham substituído seus produtos nas vitrines por banners com soluções de edições passadas da competição ou com os mais variados experimentos. No centro da cidade, havia diversas bandeiras, entre elas, algumas com o logo do IYPT e não havia só placas de ruas ou turísticas, mas também indicações de onde encontraríamos a próxima menção ao torneio espalhada pelas ruas de Bad Saulgau.

A escola japonesa na qual geralmente não há movimento algum foi mais do que perfeita para acomodar os participantes. Não poderíamos nos sentir melhor do que entre as paredes dos imponentes prédios e entre as imensas árvores espalhadas pelo local. A tenda que serviu de refeitório, conseguiria abrigar todos as delegações de uma só vez sem problema algum. Os campos de futebol aos fundos e o gramado entre os prédios serviram por várias vezes de local de descontração para as equipes. Apesar dos problemas com a conexão de internet, chegou a ser engraçado ficar sentado nas escadarias do outro dormitório tentando conseguir comunicação com o resto do mundo. Mais ainda, a sala do piano/órgão em que passamos algumas das nossas noites estudando e pesquisando no prédio principal era simplesmente deslumbrante e não foram poucas as pessoas que apareciam por lá para tocar o instrumento e chamar a atenção de todos no local.

O campus do centro de pesquisa, onde se deram os fights, foi impecavelmente preparado para que tivéssemos o conforto e a praticidade necessária para apresentarmos e discutirmos nossas soluções. Todas as salas tinham dois projetores, um cronômetro, uma banca de jurados, mesas que permitiam a comunicação entre o time inteiro e até mesmo algumas cadeiras para eventuais observadores. Entre os rounds, lanches e bebidas eram disponibilizados, mas não era incomum todos os times saírem da sala não só para beber água e irem ao banheiro, mas também para ficar discutindo e olhando o cronômetro do que estava acontecendo nas outras salas haha.

Foi tudo muito surreal. Era possível cruzar a cidade inteira num piscar de olhos. Entretanto, coisa para fazer era o que não faltava. Para uma cidade tão pequena, até que o número de restaurantes era considerável. A cidade conhecida por suas águas termais nunca mais será a mesma depois da passagem do IYPT. Só que, mais do que isso, nenhum participante será o mesmo depois da passagem por Bad Saulgau…

A algumas horas da partida… Fatos sobre o 25º IYPT

Passaram-se mais de dois meses do momento em fomos selecionados. Desde então, passamos por uma preparação em ritmo frenético. Unimos forças. Alguns nos ajudaram. Agora estamos nós cinco há poucas horas do voo que nos levará para a guerra. Nervosa? Nããããooo…. Imagiiiina… Ir pro IYPT, participar dos fights, preparar os problemas, conhecer pessoas e lugares fora do normal faz da competição, na minha sincera opinião, a melhor experiência que alguém pode ter, independente do papel desempenhado. Entretanto, essa edição tem algo a mais, seja na parte pessoal ou na organização da competição em si.

Primeiro, vamos aos fatos e números dessa edição! É a 25ª vez que um IYPT é organizado, o que significa que a competição está completando um quarto de século! Yay! Em comemoração a isso, parece que o Evgeny Yunosov, idealizador e fundador do IYPT vai estar por lá (o cara que fez com que nossas vidas fossem mais felizes). De qualquer maneira, muitos nomes conhecidos para os participantes ao redor do mundo estarão por lá também: organizadores, pessoas que escrevem o kit, componentes dos comitês executivo e internacional etc. Neste ano, como o país sede não tem problemas diplomáticos com países participantes, o presidente do torneio vai poder participar e fazer novamente todas as coisas pomposas que é função dele na competição: abrir sessões de reuniões, discursar em cerimônias, assinar atas, presidir o juri no PF final, entre outros. Esse é o maior IYPT da história! São 28 nações participantes e outras 3 observando. Por um lado: temos mais concorrência. Por outro: são mais medalhas disponíveis e muito mais gente legal! Eu acredito que a competição nunca teve tantos patrocinadores. Em uma contagem rápida que eu acabei de fazer, são mais de 60 oO. Parece que montaram um sistema de apuração de notas também (nada de atrasos nesta edição, como no PF final ano passado) e o cronômetro marcará 12 min de apresentação em vez dos 15 que estavam marcando os do último torneio.

Como todos já sabem, a competição será sediada em Bad Saulgau, que é uma cidade muito pequena, com pouco mais de 10 mil habitantes, conhecida por suas águas termais. As acomodações parecem muito confortáveis e as salas de fights, muito bem equipadas. Aliás, a organização inteira parece impecável. Talvez isso se deva a alguns problemas que ocorreram no torneio ano passado. Nosso guia já entrou em contato com a gente (ano passado a gente nem sabia como proceder), parece que tentaram colocar pessoas que falavam a língua mãe de cada participante e estamos melhores informados também. Fora isso, parece que as taxas todas serão pagas em depósito bancário, não da maneira caótica que foi ano passado no coquetel de abertura, e nada de problemas com quartos no hotel dos dois últimos dias como foi ano passado. A viagem dos dois últimos dias vai ser para Stuttgart, onde haverá a reunião do IOC em que será decidida a lista dos tão esperados 17 problemas de 2013.

Estamos levando um mascote desta vez! Ele é um hipopótamo, o Hugo. Ano passado me falaram que tinha que ser algo nada a ver com nosso país, tem que ser algo original também. Temos crachás oferecidos pela organização local aos mascotes de todos os países! Este pode ser o ano dos mascotes… Somos um time de cinco pessoas, mas também temos nossos dois líderes de equipe e um visitante que com certeza nos ajudarão a passar por todas as etapas do torneio e, claro, o Hugo.

Agora, vem a parte pessoal. É meu último IYPT, pelo menos como participante, e isso envolve muita coisa ao mesmo tempo. Ao fim desta semana, eu já vou ter passado por 21 PFs oficiais (11 nacionais e 10 internacionais) e mais inúmeros PFs de treino, eu não tenho nem conta. Vão ser meus últimos fights e isso é triste pra mim… Muitas coisas que eu esperava não vão acontecer visto que já foram decididas e é minha última participação, porém nunca mais vou passar por aquela ansiedade absurda e felicidade/tristeza por causa de notas. Mas deixa esse fato pra depois, pra outro post. O que interessa agora é que amanhã de manhã estaremos desembarcando na Alemanha. Reencontrarei alguns conhecidos, amigos ou seja lá o que eles forem e conheceremos gente nova com interesses em comum. Isso, somado aos passeios, com certeza fazem o IYPT muito mais atraente do que ele já é por natureza. Outra coisa importante: terei mais uma chance de trazer a medalha que eu tanto quero, o que é uma grande oportunidade, já que o resultado da nacional foi um tanto quanto decepcionante pra mim… Claro, teremos que contar bastante com a sorte também! Então, vamos nos divertir com física no fim das contas!

Se, colocando o pé no chão, tirar só 10 e 9 ou ganhar um ouro é uma missão um tanto quanto impossível ainda este ano, trazer uma medalha pra casa até parece cabível. Dessa forma, torçam pra que dê tudo certo! E que venha mais uma medalha brasileira!

Os resultados devem ir saindo no site oficial do IYPT 2012. Aos poucos, também vou colocando notícias conforme for dando algum tempinho. Talvez façamos um diário em vídeo enquanto estivermos por lá também.